3 fev 2021 «Um profeta só é desprezado na sua terra»

QUARTA-FEIRA DA SEMANA IV DO TEMPO COMUM

São Brás – MF (2021)
3 fev

Hebr 12, 4-7. 11-15; Sal 102 (103), 1-2. 13-14. 17a e 18; Mc 6, 1-6

anos ímpares

Primeira leitura
Hebr 12, 4-7.11-15
«O Senhor corrige aqueles que ama»
Leitura da Epístola aos Hebreus

Irmãos: Vós ainda não resististes até ao sangue na luta contra o pecado e já esquecestes a exortação que vos é dirigida, como a filhos que sois: «Meu filho, não desprezes a correcção do Senhor, nem desfaleças quando Ele te repreende; porque o Senhor corrige aqueles que ama e castiga aqueles que reconhece como filhos». É para vossa correcção que sofreis; Deus trata-vos como filhos. Qual é o filho a quem o pai não corrige? Toda a correcção, no momento em que se recebe, é considerada mais como motivo de tristeza que de alegria. Mais tarde, porém, dá àqueles que foram exercitados um fruto de paz e de justiça. Por isso, levantai as vossas mãos fatigadas e os vossos joelhos vacilantes; dirigi os vossos passos por caminhos direitos, para que o coxo não se desvie, mas antes seja curado. Procurai viver em paz com todos e levai uma vida santa, porque sem isso ninguém verá o Senhor. Velai por que ninguém se afaste da graça de Deus: que nenhuma raiz amarga comece a crescer e lance o contágio na comunidade.

Salmo Responsorial
Salmo 102 (103), 1-2.13-14.17a e 18 (R. 17)
Refrão: A misericórdia do Senhor permanece para sempre
sobre aqueles que O temem.

Bendiz, ó minha alma, o Senhor
e todo o meu ser bendiga o seu nome santo.
Bendiz, ó minha alma, o Senhor
e não esqueças nenhum dos seus benefícios.

Como um pai se compadece dos seus filhos,
assim o Senhor Se compadece dos que O temem.
Ele sabe de que somos formados
e não Se esquece que somos pó da terra.

A bondade do Senhor permanece para sempre
sobre aqueles que O temem,
sobre aqueles que guardam a sua aliança
e se lembram de cumprir os seus preceitos.

Evangelho
Mc 6, 1-6
«Um profeta só é desprezado na sua terra»
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos

Naquele tempo, Jesus dirigiu-Se à sua terra e os discípulos acompanharam-n’O. Quando chegou o sábado, começou a ensinar na sinagoga. Os numerosos ouvintes estavam admirados e diziam: «De onde Lhe vem tudo isto? Que sabedoria é esta que Lhe foi dada e os prodigiosos milagres feitos por suas mãos? Não é Ele o carpinteiro, Filho de Maria, e irmão de Tiago, de José, de Judas e de Simão? E não estão as suas irmãs aqui entre nós?». E ficavam perplexos a seu respeito. Jesus disse-lhes: «Um profeta só é desprezado na sua terra, entre os seus parentes e em sua casa». E não podia ali fazer qualquer milagre; apenas curou alguns doentes, impondo-lhes as mãos. Estava admirado com a falta de fé daquela gente. E percorria as aldeias dos arredores, ensinando.