SEGUNDA-FEIRA – 10/MARÇO/2014

SEGUNDA-FEIRA – 10/MARÇO/2014

SantaEugeniaDeJesusSTA. MARIA EUGÉNIA DE JESUS (1817-1898).   Depois da separação dos pais e da morte da mãe, vítima da cólera, abandona a prática cristã mas recuperou-a após uma prégação quaresmal na catedral de Notre-Dame. Fundou a“Congregação das Religiosas da Assunção” a quem deu duas prioridades: a adoração (que venha O Teu reino) e a educação (com duas vertentes: o reino de Deus, princípio e fim de tudo, e a sociedade cristã que O ame e sirva).

OS 40 MÁRTIRES DE SEBASTE (séc.IV). Soldados mortos em Sebaste, capital da Arménia, no reinado de Lucínio  que, depois de ter sido derrotado pelo piedoso cunhado Constantino, descarregou a sua fúria nos cristãos. Os soldados da XII legião, formada  por cristãos de várias regiões do império romano, foram obrigados a adorar os deuses: 40 recusaram e – era inverno – foram atirados nus num tanque gelado onde morreram devagar. Só um renegou mas o carcereiro Gorgório, que tocado se convertera, substituiu-o no martírio.

Levítico 19,1-2.11-18 ; Sal 18B, 8-10.15 ; Mateus 25, 31-36

ALeiDoSenhorAlegraOsCoracoes“EU SOU O SENHOR”(Lev.19,1-2.11-18). Conhecemos as palavras da 1ª leitura: roubo, mentira, fraude, perjúrio; opressão, exploração, retenção do salário, abuso dos fracos; ilegalidade, favo-ritismo, injustiça, calúnia, morte; ódio, fraqueza, vingança, rancor.  O que caracteriza o texto é ser, cada uma desta série de palavras, pontuada com o refrão: “Eu sou O Senhor”.  A repetição desta frase, tão forte e tão simples, faz-nos entrar no fundo de nós mesmos e ajuda-nos a ir à raíz do mal: tudo o que aqui nos é descrito, é contrário a Deus.  Deus é diferente; não é possível ser de Deus e agir assim. Os filhos de Deus, não podem tratar-se desta forma uns aos outros. Quando o fazem deixam de pertencer a Deus e, portanto, cessam de ser eles próprios. Os versículos do Salmo19  celebram a Lei – “Tora”, em hebreu – palavra formada sobre uma raíz que significa “visar”, “dar a direcção”,“jorrar água”. Não admira pois que o salmo a cante como “lei” que “restitui a vida”, “dá sabedoria”, “ilumina os olhos”.   Não é ela que possibilita, a nós e aos outros, ajustar-nos a Deus, sem dispersarmos nem fugirmos à nossa precaridade humana ? Mas é-nos ainda necessário escutar esta Palavra com a inteligência do coração, habitado pelO Espírito criador e recriador.

Meditações Bíblicas”, trad. das Irmãs Dominicanas de Notre-Dame de Beaufort  (Supl. Panorama,  Ed. Bayard, Paris)     

ALGÉS – MIRAFLORES