TERÇA-FEIRA – 23/FEVERElRO/2016

a_SaoPolicarpoDeEsmirnaSÃO POLICARPO DE ESMIRNA (69-154). Discípulo de S. João Evangelista, conheceu muitos dos “que viram O Senhor”. Dele, escreveu STO. Inácio de Antioquia numa das suas 7 célebres cartas: “Sua consciência está fundada em Deus como numa rocha inamovível!” Este Padre Apostólico morreu na fogueira, atravessado pela espada.

S. LÁZARO (Séc. IX). Este monge de Constantinopla, pintor de ícones, sofreu as perseguições decretadas pelo imperador iconoclasta Teófilo. (Não o confundir com o Lázaro do evangelho, festejado a 29/Jul., com suas irmãs Marta e Maria.)

Isaías 1,10. 16-20 ; Sal 49, 8-9. 16bc-17. 21. 23 ; Mateus 23,1-12

“SE FORDES DÓCEIS E OBEDIENTES” (Is.1, 10.16-20). O Senhor fala-nos pela boca de Isaías sobre a necessidade de lhE obedecer para viver em paz. A obediência sente-se quando se esquece. Sou monge e conheço monges fervorosos – com voto de obediência- que dizem surpreendidos: “Dou-me conta que nunca obedeço”. Entendamo-nos: tenho autonomia real, confiam em mim no quadro da vida que é a minha, e é raro darem-me alguma ordem, para actos de obediência específicos. Também conheço muitos leigos que não fizeram votos de obediência e se interrogam nesta mesma linha; perguntam-me como aplicar na sua vida as palavras sábias da regra de S. Bento: “Recebe de boa vontade o ensino de um pai exemplar, e põe-o em prática, a fim de voltares a ser aquele do qual te afastastes pela tua cobardia ou desobediência”. De facto, ainda que por vezes a obediência se apresente como intimação impossível de ignorar, pode, noutras circunstâncias, ser a descoberta maravilhosa dos corações que se dispuseram a procurá-la. “Faltava-me alguma coisa, acabei por descobrir que tinha fome de obediência”. Sim ! Tinha fome de comungar a vontade dum Outro, de pouco a pouco assumir os Seus pontos de vista, de mergulhar num desígnio maior do que as minhas ideias. Tinha fome de O encontrar nas pessoas que me rodeavam, nos acontecimentos que vivia: descobri que Ele marcava encontros em que eu podia participar por adesão de amor. Quanto mais obedecia, mais lhE desejava obedecer”.

Meditações Bíblicas”, tradução dos Irmãos Dominicanos da Abadia de Saint-Martin de Mondaye (Suplemento Panorama, Edição Bayard, Paris. Selecção e síntese: Jorge Perloiro.