40 dias pela VIDA

40 dias pela VIDA

A próxima campanha de oração começa no dia 17 de Fevereiro de 2020, Quarta-feira de Cinzas, e termina a 28 de Março.

Até ao início da próxima campanha seria bom preparar-se para a fortalecer cada vez mais.

Por esta razão haverá 5 sessões de formação sobre os 40 Dias pela Vida, que serão dadas por Zoom, às terças-feiras, às 21h30, com a duração média de 50 minutos, de 24 nov. a 22 dez.

Os vídeos de formação serão em inglês.

Para se inscreverem basta irem ao site do 40diaspelavida.org. Quaisquer dúvidas que tenham sobre esta missão, podem enviar e-mail para 40diaspelavida.portugal@gmail.com

Sempre pela vida,
40 Dias pela Vida em Portugal

22 jan 2021 Por minha causa, sereis levados

SÃO VICENTE – SOLENIDADE
(no Patriarcado de Lisboa)

Eclo 51, 6-12.; Sl 58 (59) 2-3. 4-5ab. 5c. 10-11a. 17 refrão 2b; 2 Cor 1, 3-7; Mt 10, 17-22

Primeira leitura
Eclo 51, 6-12.
«O justo sujeito a perseguições tem no Senhor o seu único refúgio.
A sua confiança nunca será frustrada.»
Leitura do livro de Ben-Sirá

O meu ser já estava perto da morte,
e a minha vida chegara, lá no fundo, à morada dos mortos.
Cercavam-me de todos os lados, e ninguém me socorria,
procurava com a vista a ajuda dos homens, e não vinha.
«Lembrei-me então, Senhor, da vossa misericórdia
e das vossas obras das eras passadas:
Vós livrais aqueles que esperam em Vós
e os salvais das mãos dos inimigos.»
Fiz subir da Terra a minha prece,
pedi que eu fosse liberto da morte.
Invoquei o Senhor, Pai do meu Senhor,
para que não me abandonasse nos dias da tribulação,
quando falta amparo contra o arrogante:
«Louvarei continuamente o vosso nome,
cantar-lhe-ei um hino de acção de graças.»
Então, a minha prece foi atendida.
«Vós me salvastes da perdição e me livrastes desse mau momento.
Por isso Vos hei-de celebrar e louvar.»
Bendirei o nome do Senhor.

Salmo Responsorial
Sl 58 (59) 2-3. 4-5ab. 5c. 10-11a. 17 refrão 2b
Sois o meu refúgio, Senhor, no dia da minha tribulação. Sois o meu refúgio, Senhor.

Meu Deus, livrai-me dos inimigos,
protegei-me contra os meus agressores.
Defendei-me dos que praticam a iniquidade,
e salvai-me dos homens sanguinários.

Armam ciladas para me tirar a vida,
conspiram contra mim homens poderosos.
Senhor, em mim não há crime nem pecado,
sem culpa minha correm a atacar-me.

Senhor, minha força, é para Vós que eu me volto,
sois Vós, ó Deus, o meu refúgio.
A bondade do meu Deus venha em meu auxílio
e me faça ver a derrota dos meus inimigos.

Eu cantarei, Senhor a força do vosso poder
de manhã louvarei a vossa bondade,
porque sois a minha fortaleza
e o meu refúgio no dia da tribulação.

Segunda leitura
2 Cor 1, 3-7.
«Do mesmo modo que abundam em nós os sofrimentos de Cristo,
assim por Cristo abunda igualmente a nossa consolação.»
Leitura da segunda Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios

Bendito seja Deus e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo,
Pai cheio de misericórdia e Deus de toda a consolação.
É Ele que nos consola em todas as nossas tribulações,
para podermos consolar aqueles que sofrem qualquer tribulação,
por meio da consolação que nós próprios recebemos de Deus.
Do mesmo modo que abundam em nós os sofrimentos de Cristo,
assim por Cristo abunda igualmente a nossa consolação.
Se somos atribulados, é para serdes confortados e salvos;
se somos confortados, é também para receberdes conforto.
E esse conforto mostra-se eficaz
na constância com que suportais
os mesmos sofrimentos que nós padecemos também.
A nossa esperança a vosso respeito é firme,
pois sabemos que, se participais nos sofrimentos,
participais também na consolação.

Evangelho
Mt 10, 17-22.
«Por minha causa, sereis levados à presença de governadores e reis, para dar testemunho diante deles e das nações»
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus

Naquele tempo,
disse Jesus aos seus apóstolos:
«Tende cuidado com os homens:
hão-de entregar-vos aos tribunais e açoitar-vos nas sinagogas.
Por minha causa, sereis levados
à presença de governadores e reis,
para dar testemunho diante deles e das nações.
Quando vos entregarem,
não vos preocupeis em saber como falar nem com o que dizer,
porque nessa altura vos será sugerido o que deveis dizer;
porque não sereis vós a falar,
mas é o Espírito do vosso Pai que falará em vós.
O irmão entregará à morte o irmão
e o pai entregará o filho.
Os filhos hão-de erguer-se contra os pais e causar-lhes a morte.
E sereis odiados por todos por causa do meu nome.
Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo».

ALGÉS – MIRAFLORES