Itinerário de catequese por volumes

CATEQUESE PAROQUIAL – PARÓQUIA DE CRISTO REI DE ALGÉS
catequesealges@gmail.com

O itinerário de catequese por idades

SUJEITO AOS CONDICIONAMENTOS DEVIDOS À CAUSA ACTUAL DE TODOS CONHECIDA (agosto 2020)

Despertar da Fé
  • Para as crianças de 5 anos de idade
  • Trata-se de uma sensibilização para a vida cristã orientada para crianças dos cinco anos em forma de pré catequese dirigida a todas as crianças da Paróquia. O “Despertar da Fé” tem levado a “Palavra de Deus a alguns Pais das nossas crianças.
  • É uma iniciativa promovida e acompanhada pelo departamento de catequese do Patriarcado de Lisboa
Apresentação das crianças para a Catequese
  • No primeiro ou segundo Domingo de Outubro (cf. o programa específico de cada ano pastoral)
  • Os pais, que pediram para os seus filhos, o Baptismo, nos primeiros meses de vida, apresentam-nos agora à Igreja, pedindo a catequese, de modo a serem formados na fé católica.
  • Os pais das crianças não baptizadas, apresentam-nas, pedindo, a catequese na forma de catecumenado que as prepara para receberem os sacramentos da Iniciação Cristã.
1.º Volume – Entrega da Ave Maria
  • 8 de Dezembro, Solenidade da Imaculada Conceição, Algés, 11h00
  • A celebração, na Santa Missa, é antecedida pela recitação do terço com as famílias e a participação dos jovens no cântico e na oração.
  • No Evangelho de hoje ressoa a saudação do Anjo a Maria: «Salve, ó cheia de graça, o Senhor está contigo» (Lc 1, 28). Deus sempre a pensou e a quis, no seu desígnio inescrutável, como uma criatura cheia de graça, isto é, cheia do seu amor. Mas para estar repleto, é preciso encontrar espaço, esvaziar-se, pôr-se de lado. Precisamente como fez Maria, que soube pôr-se à escuta da Palavra de Deus e confiar totalmente na sua vontade, aceitando-a sem reservas na sua vida. A ponto que nela o Verbo se fez carne. Isto foi possível graças ao seu “sim”. Ao Anjo que lhe pede para estar pronta para se tornar Mãe de Jesus, Maria responde: «Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra» (Papa Francisco, Angelus, 8.12.2019)
2.º Volume – Entrega do Pai Nosso
  • 19 de Março, Solenidade de São José, Algés, 11h00
  • «A oração dominical é verdadeiramente o resumo de todo o Evangelho». «Depois de o Senhor nos ter legado esta fórmula de oração, acrescentou “Pedi e recebereis” (Jo 16, 24). Cada um pode, portanto, dirigir ao céu diversas orações segundo as suas necessidades, mas começando sempre pela oração do Senhor, que continua a ser a oração fundamental». A entrega é feita neste dia, lembrando aos pais São José, e a sua missão única na Sagrada Família e na Igreja.
  • Os pais das crianças que: tenham feito sete anos, alcançando assim a idade da razão e da discrição; que participem assiduamente na Santa Missa nos Domingos e dias festivos, frequentem a catequese; que saibam distinguir o Pão Eucarístico do pão comum; que tenham uma vida de piedade, de oração e de fé pessoal, que saibam distinguir o bem e o mal e tenham consciência da própria escolha; peçam a primeira Confissão e a primeira Comunhão para os seus filhos. Em geral na Solenidade do Corpo de Deus.
3.º Volume – Primeira Confissão e Primeira Comunhão
  • Último Domingo de Abril e primeiros dois de Maio, por grupos de cerca de 25 crianças; Algés, 11h00
  • Considera-se a idade apta para a recepção destes sacramentos (Penitência e Eucaristia) aquela que nos documentos da Igreja é conhecida por uso de razão ou da discrição. Esta idade, tanto para a confissão como para a comunhão, é aquela na qual a criança começa a raciocinar, isto é, pelos sete anos, mais ou menos. Desde este momento começa a obrigação de satisfazer o preceito da confissão e da comunhão (Decr. Quam singulari I, AAS 2 (1910) 582. (…) Procure-se que o tempo em que o preceito da confissão e da comunhão começa a obrigar por si mesmo não se afaste excessivamente destes limites (Directorium catechisticum generale, Addendum: I AAS 64 (1972) 173.
  • A Primeira Confissão é no primeiro Domingo da Quaresma, na Igreja Paroquial às 16h00. A confissão de preparação próxima é no dia anterior à primeira Comunhão de cada criança, juntamente com a catequese imediata e o ensaio
4.º Volume – Entrega das Sagradas Escrituras
  • Domingo da Palavra (III do Tempo Comum); Algés, 11h00
  • A Bíblia, enquanto Escritura Sagrada,fala de Cristo e anuncia-O como Aquele que deve passar pelo sofrimento para entrar na glória (cf. Lc 24,26). E d’Ele falam não só uma parte, mas todas as Escrituras. Sem estas, são indecifráveis a sua morte e ressurreição. Por isso, uma das mais antigas confissões de fé sublinha que Cristo «morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras; foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras, e apareceu a Cefas»(1 Cor 15, 3-5). Uma vez que as Escrituras falam de Cristo, consentem acreditar que a sua morte e ressurreição não pertencem à mitologia mas à história, e encontram-se no centro da fé dos seus discípulos (Papa Francisco, Aperuit illis, 30.9.2019).
  • A paróquia acompanha a meditação da palavra por parte das crianças através do programa “O Som da Palavra”.
5.º Volume – Entrega do Credo
  • Domingo II da Quaresma, juntamente com os catecúmenos; Algés, 11h00
  • Com o rito da entrega do Credo (Símbolo), a Igreja resume e entrega (Traditio) o símbolo da fé, o conjunto das verdades de fé apostólica às crianças baptizadas que progridem no conhecimento da sua cristã e aos que se preparam para receber o Baptismo.
  • Durante o 5.º volume de catequese, até à profissão de fé, no 6.º volume e, no caso dos catecúmenos, até ao dia dos ritos imediatamente preparatórios, os que recebem o credo apreendem-no de cor, ou seja, com a memória inteligível do coração.
6.º Volume – Profissão de Fé
  • Domingo da Ascensão (em geral); Algés, 11h00
  • «Os pais de Jesus iam todos os anos a Jerusalém, pela festa da Páscoa. 42Quando Ele chegou aos doze anos, subiram até lá, segundo o costume da festa» (Lc 2, 41-42).
  • A idade dos 12 anos marca geralmente o final da infância e o início de uma idade de crescimento rápido em direcção ao estado adulto. Também a vivência da fé assume contornos pessoais o que corresponde a uma renovação mais consciente das promessas baptismais e testemunho público e solene da fé professada na comunhão da Igreja. Pertence à preparação desta celebração, o momento de e a visita à Sé Catedral.
7.º Volume – Escuta do Evangelho das Bem-aventuranças
  • Solenidade de Todos os Santos – 1 de Novembro; Algés, 11h00
  • Após a profissão de fé, no final do ano catequético anterior, o itinerário progride com a escuta do Evangelho das Bem Aventuranças, proclamado na Solenidade de Todos os Santos. A fé, enquanto amizade viva com Jesus Cristo, não se resume a um saber intelectual nem se exprime completamente na ética universal do ser humano, criado a imagem e semelhança de Deus. O caminho de salvação é o seguimento de Cristo, é a imitação de Cristo, é a vida de Cristo no jovem crente.
  • Ao longo de todo o ano catequético, no sétimo volume, a proclamação das Bem-aventuranças é seguida pela assimilação do sermão da montanha para a formação interior do verdadeiro discípulo que constrói a sua casa sobre a rocha.
8.º Volume-Ninguém tem maior amor
  • Sexta-feira Santa: celebração da Paixão e adoração da Santa Cruz; Algés, 15h00
  • «Ninguém tem mais amor do que quem dá a vida pelos seus amigos» (Jo, 15,13).
  • Após a escuta do Evangelho das Bem-aventuranças, o jovem crente é convidado a reconhecer na Cruz de Cristo a realização plena da boa notícia da salvação: «Pelas suas chagas fomos curados» (Is 53,5).
9.º Volume – Entrega de si a Deus
  • Programa consoante os anos e os grupos.
  • A contemplação e adoração da Santa Cruz é um apelo a dar a vida, como sacrifício espiritual agradável a Deus: «Por isso, vos exorto, irmãos, pela misericórdia de Deus, a que ofereçais os vossos corpos como sacrifício vivo, santo, agradável a Deus. Seja este o vosso verdadeiro culto, o espiritual.
    (Rm 12,1)
  • A entrega da própria vontade à vontade do Pai, como em Maria, a serva do Senhor, corresponde à imitação perfeita de Cristo cujo alimento é fazer a vontade do Pai (Cf. Jo 4,34). Deste modo se plasma toda a vida cristã e se configura a decisão vocacional.
Outras actividades
  • Retiros e encontros inter-paroquiais
  • Actividades do programa diocesano
  • Missões paroquiais – Epifania e Páscoa
  • Missa da Partilha – Epifania, Algés, 19h00
  • Ao encontro dos mais necessitados (visitas a lares, visitas a pessoas idosas ou enfermas)
  • Encontros de oração com os pais – Advento e Quaresma
  • Reuniões com os pais

ALGÉS – MIRAFLORES