SEXTA-FEIRA – 24/ABRIL/2015

S. FIEL DE SIGMARINGA (1578-1623). Renunciou à sua profissão de advogado para entrar nos Capuchinhos. Enviado em missão para a Suiça, obteve a conversão de muitos chefes calvinistas antes de ser assassinado: “Meu Jesus, tende piedade de mim. Santa Maria, Mãe de Deus, assisti-me!”, disse pouco antes de morrer.

Actos 9,1-20 ; Sal 116, 1-2 ; João 6, 52-59

“ENTÃO OS OLHOS ABRlRAM-SE…” (Act.9,1-20). O que significa a cegueira de Saulo após o encontro com Cristo? Qual é o sentido do seu jejum durante esse tempo? Não ver e não tomar alimento simboliza a morte, e os 3 dias aqui referidos recordam-nos o artigo do Credo: “Ele ressuscitou ao 3º dia”. Durante esta espécie de morte, Saulo conheceu uma transformação semelhante à de Cristo: Jesus histórico, identificado com o homem pecador, que na noite do túmulo Se transforma nO Ressuscitado da manhã da Páscoa. De facto, é outro homem, que a mudança de nome – Saulo, em vez de Paulo – simboliza, e que veremos na continuação dos Actos. Temos aqui um esquema da vida cristã que pode experimentar, e experimenta várias vezes, o “caminho de Damasco”.

Meditações Bíblicas”, tradução dos Irmãos Dominicanos da Abadia de Saint-Martin de Mondaye (Suplemento Panorama, Edição Bayard, Paris). Selecção e síntese: Jorge Perloiro.