QUINTA-FEIRA – 29/OUTUBRO/2015

Beato_MiguelRuaBTO. MIGUEL RUA (1837-1910). Salesiano, braço direito e sucessor de Dom Bosco. “Só vos peço uma coisa : sede santos”. Foi beatificado pelo papa S. Paulo VI, em 1972.

S. NARCISO (212). Bispo de Jerusalém, presidiu ao Concílio da Palestina que optou por celebrar a Páscoa num domingo, em vez do dia 14 do mês Nissan dos judeus.

Romanos 8, 31b-39 ; Sal 108, 21-22. 26-27. 30-31 ; Lucas 13, 31-35

“SE DEUS ESTÁ POR NÓS…” (Roman.8,31b-39). Os versículos conclusivos do cap.8 da Epístola aos Romanos evidenciam como qualquer destino humano é sempre conduzido pelO Espírito. Trata-se de um hino que celebra o que Deus fez pela humanidade, no Seu Amor por todos os homens, manifestado em Cristo. Nada nem ninguém pode destruir a obra de reconciliação que Deus realizou em Jesus Cristo ou quebrar a comunhão que Ele estabeleceu com os crentes. N’Ele podemos ser vencedores das aflições, das forças hostis e das dificuldades que se abatem sobre nós. “Se Deus está por nós, quem estará contra nós?” Perante isto que fazer ? Como S.Paulo cantemos a Deus, em Jesus Seu Filho : somos convidados ao “louvor”, à “esperança”, e à “oração”, que é o tempo do esforço e do ajustamento das nossas vidas ao projecto de Deus.

“PARTE, SAI DAQUI, PORQUE HERODES QUER MATAR-TE.” (Luc.13,31-35). Não sabemos o que levou os fariseus a fazerem esta sugestão a Jesus. Talvez sentissem a inquietação alcançá-los, avaliando a oposição que se levantava contra O Enviado. Seja como for, Jesus é colocado sem delicadeza perante a eventualidade da Sua morte. Aos que querem apresentar-lhE um futuro dramático, Ele responde no presente: “Hoje, amanhã e depois, Eu devo seguir o Meu caminho”. A cruz perfilada no horizonte não é um acidente dramático. A cruz está em plenitude no hoje da Salvação em que Ele escolhe amar em total liberdade. Jesus faz nascer a Igreja, reunida sob a cruz: a cruz está aí, e a Igreja somos nós!

Meditações Bíblicas”, tradução dos Irmãos Dominicanos da Abadia de Saint-Martin de Mondaye (Suplemento Panorama, Edição Bayard, Paris). Selecção e síntese: Jorge Perloiro.