QUARTA-FEIRA – 16/DEZEMBRO/2015

SantaAdelaideBTA MARIA DOS ANJOS (1661-1717). Órfã aos 12 anos, entrou com 14 no Carmelo.Era grande devota de Nossa Senhora e de S. José, fundando em sua honra um convento em Moncalieri. Foi várias vezes Prioresa e vivia em constante oração,deixando às irmãs inúmeros exemplos de ardente amor a Deus, apesar de sofrer duma quase permanente aridez espiritual. Beatificada pelo papa Pio IX, em 1865.

SANTA ADELAIDE (931-999). Primeira imperatriz do Sacro-Império (viúva 2 vezes: de Lotário II e de Oto I), fundou numerosos mosteiros, sustentou a lgreja e ajudou os pobres.

Isaías 45,6b-8.18. 21b-25 ; Sal 84, 9-14 ; Lucas 7,19-23

O ESPíRITO FECUNDA O NOSSO “ SIM ” (Is. 45,6b-8.18.21b-25). “Ó céus, destilai do alto o vosso orvalho (…) que se abra a terra e floresça a salvação…” Este versículo de Isaías é retomado na antífona de abertura no 4o domingo do Advento, por apontar para o mistério da Encarnação. Não simbolizará o orvalho O Espírito Santo que penetra suavemente a terra para a tornar fecunda? E quanto à sua abertura não significará ela igualmente a realidade do “sim” que temos de dizer a Deus? Se tudo nos está dado, só nos resta acolher esse “tudo” e fazê-lo frutificar para que Cristo nasça em nós.“

ÉS TU O QUE DEVE VIR…? ” ( Lucas 7,19-23). O mais pequeno nO Reino de Deus é maior que o maior dos filhos dos homens. Representa a distância que separa João Baptista e Jesus na economia da salvação. Com efeito, João é um profeta cuja missão consiste em preparar a Nova Aliança, selada com o sangue de Cristo por toda a eternidade. Todavia, a Nova Aliança não anula a precedente, mas completa-a e não poderia ter surgido sem a primeira. Assim, o profetismo atinge o ponto culminante com a pregação de João, mas o profetismo não pertence à Nova Aliança, ele é a missão específica de Cristo, porque é Ele “O que deve vir”.“Os cegos vêem, os surdos ouvem, os paralíticos andam…” Ver, caminhar, ouvir : sair de nós-mesmos!

Meditações Bíblicas”, tradução dos Irmãos Dominicanos da Abadia de Saint-Martin de Mondaye (Suplemento Panorama, Edição Bayard, Paris). Selecção e síntese: Jorge Perloiro.