TERÇA-FEIRA – 9/FEVEREIRO/2016

a_SaoMiguelCorderoS. MIGUEL FEBRES CORDERO (1854-1910). Nascido no Equador, numa família rica, foi educado pelos “Irmãos La Salle”, onde entrou apesar da oposição dos pais, vindo a tornar-se num grande educador. Dava o conselho de STO. Afonso Ligório: “Em vez de fazer penitência com cilício e açoites, um sacrifício que leva à santidade é o de não deixar passar um dia sem ler uma página de um livro espiritual.” Canonizado por João-Paulo (1984).

1 Reis 8, 22-23. 27-30 ; Sal 83, 3-5. 10-11; Marcos 7, 1-13

“ESCUTA O GRITO E A PRECE…” (1 Reis 8,22-23.27-30). O texto ressoa com esta súplica repetida de Salomão aO Senhor: “Escuta!” Porque não basta construir um santuário e ali fazer oferendas para assegurar a benevolência de Deus. É também necessário este grito dum coração atento, tenaz, que ora e súplica. O que se pede ao ser humano é que escute Aquele que que vem até si. De facto à oração de Salomão, o Livro do Deuteronómio responde com uma injunção diáriamente dirigida aos crentes: “Escuta Israel!” Para se pedir a Deus que escute a nossa oração e o nosso grito, há primeiro que se colocar a si próprio na disposição de escutar e de estar atento, de acolher quotidianamente o grito dos homens, nossos irmãos, pelos quais nos chega o apelo de Deus.

“DESCURAIS O MANDAMENTO DE DEUS, PARA VOS PRENDERDES À TRADIÇÃO…” (Marcos 7,1-13). Eis uma escolha errada que com frequência fazemos nas nossas práticas religiosas. Serão elas simples costumes herdados da família e do ambiente, como um sinal da cruz esboçado rapidamente antes ou após uma refeição? Ou esses gestos, vividos conscientemente, ajudam-nos a interiorizar a nossa fé e esperança, como por ex. ao persignar-nos com água benta para recordar a nossa filiação divina e a conformidade com os ensinamentos de Cristo? Ou as cinzas que amanhã receberemos sem imediatamente as retirar!

Meditações Bíblicas”, tradução dos Irmãos Dominicanos da Abadia de Saint-Martin de Mondaye (Suplemento Panorama, Edição Bayard, Paris. Selecção e síntese: Jorge Perloiro.