QUARTA-FEIRA DE CINZAS – 10/FEVEREIRO/2016

B_QuartaFeiraDeCinzas2016

TEMPO DA QUARESMA DE 2016

Destina-se a preparar a celebração da Páscoa: a liturgia quaresmal prepara para a celebração do mistério pascal tanto os catecúmenos, através dos diversos graus da iniciação cristã, como os fiéis, por meio da recordação do Baptismo e das práticas de penitência.

Em união com a Paixão do Senhor e em espírito de penitência mais visível, nas sextas-feiras da Quaresma deve escolher-se uma alimentação simples e pobre, que poderá concretizar-se na abstenção de carne (CEPNormas, 28/1/1985).

QUARTA-FEIRA DE CINZAS (jejum e abstinência)

Abstinência (abstenção de carne): a partir dos 14 anos de idade.
Jejum (limitação da alimentação do dia a uma única refeição, embora sem excluir que se possam tomar alimentos ligeiros às horas das outras refeições): a partir dos 18 anos de idade e até aos 60 anos.

*
*       *

a_SantaEscolasticaSTA. ESCOLÁSTlCA (480-543). Irmã de S. Bento, imitou-o fazendo-se monja junto do Monte Cassino. Os dois encontravam-se uma vez por ano para longas conversas espirituais. S.Bento viu-a subir ao céu sob a forma de uma pomba. “O trabalho oferecido a Deus é uma grande oração” (S.Bento).

Joel 2,12-18; Sal 50,3-6a.12-14.17; 2 Coríntios 5,20–6,2; Mateus 6,1-6.16-18

VAMOS A JESUS CRISTO NA PARTILHA E NA ORAÇÃO (Mateus 6,1-6.16-18). Para inaugurar este período de quarenta dias em que vamos celebrar a morte e a ressurreição de Cristo-Jesus, o evangelho propõe 3 pistas, descritivas de formas de piedade praticadas pelos Judeus. A primeira é a sobriedade de vida nos alimentos, na bebida…, equivalente ao jejum. A segunda é dar esmola, reconhecendo no pobre o rosto dO Senhor. Por fim a oração mais intensa que cria um clima propício ao reconhecimento da nossa condição humana e nos aproxima do pobre e de Deus, partilhando os nossos bens, as nossas competências e vivendo a Palavra meditada na oração. Tudo a exemplo de Jesus, para enraizar a nossa vida cristã numa caridade discreta, segundo a expressão favorita de STO. Inácio de Loiola. “Em segredo”, não para nos esconder, mas para as acções terem apenas em vista Aquele que as pede: O Pai. Nada do que fizermos apenas diante dos homens frutificará, mas se ficar no segredo do coração – onde também se encontra O Pai – Ele multiplicará a sua fecundidade. Essa será a recompensa do justo. Discretamente Jesus convida-nos, hoje, a algo mais do que à mera obediência dos mandamentos : convida-nos a respondermos aO Seu e nosso Pai. Não nos chama a viver apenas como justos, mas como filhos. Entramos assim no tempo da Quaresma, que prepara o maior de todos os dons dO Pai aO Seu Filho Jesus, O qual prometeu partilhá-lo connosco: a Ressurreição para a Vida Eterna.

Meditações Bíblicas”, tradução dos Irmãos Dominicanos da Abadia de Saint-Martin de Mondaye (Suplemento Panorama, Edição Bayard, Paris. Selecção e síntese: Jorge Perloiro.