3 nov 2017

30SEM-TC-i_d6SEXTA FEIRA DA SEMANA XXX DO TEMPO COMUM (Anos ímpares)
A Liturgia da palavra propõe nos hoje dois exemplos da caridade divina. Jesus tem pressa de curar este homem; a sua caridade não pode esperar pelo primeiro dia da semana para fazer o bem. Cura aquele homem em dia de sábado sabendo muito bem que por isto será criticado, combatido e, finalmente, condenado. Exatamente estes são os motivos que as autoridades do seu povo irão avançar para o condenar: actos de bondade e de misericórdia realizados imediatamente, sem respeitar certas interpretações da tradição. Mas para ele é como se no poço tivesse caído não um jumento nem um boi, mas um filho; é preciso tirá-lo para fora imediatamente. O seu coração está cheio da Caridade que vem do Pai e procede também do Filho e Jesus não faz outra coisa senão obedecer a esta vontade de amor.
Um outro maravilhoso exemplo de caridade é nos dado por S. Paulo na carta aos romanos. Dos seus compatriotas ele não recebeu senão oposições fortíssimas, autênticas perseguições. Vemo-lo muito bem nos atos dos apóstolos e nas suas próprias cartas. No entanto não nutre sentimentos de rancor ou de ódio, mas apenas o desejo de conduzir estes seus irmãos à salvação. “Tenho no coração uma grande dor e um sofrimento continuo”, escreve, porque eles não acreditam em Cristo, estão separados dele. E chega verdadeiramente ao extremo: Se estas palavras não fossem escritas no novo testamento o sentimento que exprimem seria semelhante a pecado grave: ”quereria ser eu mesmo anátema, separado de Cristo para vantagem dos meus irmãos”. Anátema significa maldito. São duas lições profundissimas: eis onde chega o amor no coração de Cristo, onde chega a caridade que o Espírito Santo infundiu no coração de Paulo. Façamos por abrir o nosso coração, de tal modo que o Senhor aí possa colocar, se assim o quiser, um contínuo sofrimento para o bem de tantos homens, próximos ou distantes de nós, que não acreditam nele, que não caminham sobre a via da salvação. (lachiesa.it).
PRIMEIRA LEITURA Rom 9, 1-5

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Romanos
Irmãos: Em Cristo digo a verdade, não minto, e disso me dá testemunho a consciência no Espírito Santo: Sinto uma grande tristeza e uma dor contínua no meu coração. Quisera eu próprio ser anátema, separado de Cristo, para bem dos meus irmãos, que são do mesmo sangue que eu, que são israelitas, a quem pertencem a adopção filial, a glória, as alianças, a legislação, o culto e as promessas, a quem pertencem os Patriarcas e de quem procede Cristo segundo a carne, Ele que está acima de todas as coisas, Deus bendito por todos os séculos. Amen.
Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL 147, 12-13.14-15.19-20 (R. 12a)

Refrão: Jerusalém, louva o teu Senhor. Repete-se

Glorifica, Jerusalém, o Senhor,
louva, Sião, o teu Deus.
Ele reforçou as tuas portas
e abençoou os teus filhos. Refrão

Estabeleceu a paz nas tuas fronteiras
e saciou-te com a flor da farinha.
Envia à terra a sua palavra,
corre veloz a sua mensagem. Refrã

Revelou a sua palavra a Jacob,
suas leis e preceitos a Israel.
Não fez assim com nenhum outro povo,
a nenhum outro manifestou os seus juízos. Refrão

EVANGELHO Lc 14, 1-6

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, Jesus entrou, num sábado, em casa de um dos principais fariseus, para tomar uma refeição. Todos O observavam. Diante d’Ele encontrava-se um hidrópico. Jesus tomou a palavra e disse aos doutores da lei e aos fariseus: «É lícito ou não curar ao sábado?». Mas eles ficaram calados. Então Jesus tomou o homem pela mão, curou-o e mandou-o embora. Depois disse-lhes: «Se um filho vosso ou um boi cair num poço, qual de vós não irá logo retirá-lo em dia de sábado?». E eles não puderam replicar a estas palavras.
Palavra da salvação.

ESTE DIA
HORA E LOCAL ACÇÃO ESPECIFICAÇÃO (NOTAS)
09:00 CRUZ QUEBRADA Santa Missa
09:30 CRUZ QUEBRADA Confissões
16:00 ALGÉS Reunião do Apostolado da Oração
17:30 MIRAFLORES Confissões
18:00 MIRAFLORES Santa Missa
18:30 ALGÉS Confissões
19:00 ALGÉS Santa Missa
19:30 MIRAFLORES Oração «In Lumine Tuo» grupo de oração vocacionado para mulheres que, após a separação, não voltaram a casar. Um tempo de “reconciliação, pacificação e cura”, com a oração, os sacramentos, em comunidade.