TERÇA-FEIRA – 24/MAIO/2016

NossaSenhoraAuxiliadoraS.VICENTE DE LÉRINS (~445) . Monge da abadia de Lérins conhecido pelo seu “Commonitorium”(recordatória) das verdades da fé cristã (Maria é a Theotokos).

N. SRA. AUXILIADORA. Devoção mariana iniciada por S.Pio V ao promover, com esta invocação, uma esquadra cristã contra os turcos que foram derrotados no Mediterrâneo, na batalha de Lepanto, em 1571. A festa foi instituida por Pio VII, em 1831, ao voltar para Roma após o exílio napoleónico. S. João Bosco adoptou esta invocação na Congregação Salesiana e nas “lrmãs de Maria Auxiliadora”. Dizia: “A festa de Mª Auxiliadora deve ser o prelúdio da festa eterna que celebraremos juntos um dia no Paraíso”. Em Spoleto (1862), NªSª apareceu com este nome.

1 Pedro 1,10-16; Sal 97,1-4; Marcos 10, 28-31

O PRESENTE, TEMPO DE GRAÇA (1 Pedr.1,10-16). A 1ª carta de Pedro propõe-nos ver de modo diferente o tempo presente: com um olhar da fé iluminado pelas Escrituras, que nos faz apreciá-lo de outra forma e descobri-lo como tempo favorável. Não será este o tempo da graça, iluminado pela Boa Nova da salvação em Jesus-Cristo, que os profetas tinham aguardado? É a partir desta convicção da fé que somos chamados a vivenciar a nossa realidade, com as suas crises de crescimento e as suas ambiguidades. O que implica uma reorientação dos nossos desejos na perspectiva duma história santa em marcha para a sua plena realização.

RECEBERÁ CEM VEZES MAIS (Marcos 10,28-31). Após o relato de ontem que parecia apenas falar do abandono e da oferta dos bens materiais, é necessário hoje abrir a perspectiva a toda a vida. Pedro, di-lo nas primeiras palavras: “Aqui estamos nós que deixámos tudo e Te seguimos”. Jesus pôde continuar e mostrar que o abandono das riquezas deste mundo por amor do evangelho mais não é que o prelúdio para descobrir a generosidade de Deus: está-nos prometido o cêntuplo, já neste mundo, de casas, irmãos(ãs), mães… E, sem esquecer, com a promessa revelada por Jesus no encontro com o jovem rico: “… num mundo futuro, a vida eterna!”.

Meditações Bíblicas”, tradução dos Irmãos Dominicanos da Abadia de Saint-Martin de Mondaye (Suplemento Panorama, Edição Bayard, Paris). Selecção e síntese: Jorge Perloiro.