SEGUNDA-FEIRA – 23/MAIO/2016

OJovemRicoSTA. JOANA-ANTIDE THOURET (1765-1826). “O nosso próximo está por toda a parte, Deus está em todo o lado, isso basta-nos”, dizia a fundadora do Instituto das “Irmãs de Caridade” de Besançon, colocado sob a protecção de S.Vicente de Paulo.

BTO. JOÃO BAPTISTA MACHADO(1580-1617). Este jesuíta açoriano, ordenado em Goa, entrou clandestinamente no Japão onde acabou por ser decapitado, no dia da Santíssima Trindade, junto com Frei Pedro da Assunção, seu companheiro de martírio.

1 Pedro 1, 3-9 ; Sal 110,1-2. 5-6. 9. 10c ; Marcos 10,17-27

“ELE GEROU-NOS DE NOVO…”(1 Pdr.1,3-9) . O verbo usado no início desta benção designa simultâneamente um renascimento, “anagennaô”, e um nascimento do alto, “gennaô anô”. Eles vêm ligados à vida divina (do alto) de Cristo ressuscitado e ao baptismo que é o mergulhar do cristão na Sua ressureição. Este renascer é dinamismo e avanço para uma vida nova, trazida pela esperança. Ora, a esperança é a força que permite enfrentar mos as dificuldades e sofrimentos e também a força que nos dá uma alegria insuspeitada. Qualquer benção está sempre marcada por esta tensão : não vivemos sómente na expectativa de uma salvação e de uma felicidade já preparadas, mas também na presença inestimável de um amor que nos faz exultar de alegria.

“JESUS FITANDO NELE O OLHAR,SENTIU AFEIÇÃO…” (Marc.10,17-27) . Apreciamos muito este relato de Marcos: um homem, talvez jovem, alguém fervoroso que já fez muito por aquilo que acredita ser o melhor mas que gostaria de fazer ainda mais. Talvez nos reconheçamos neste trecho evangélico! Gostariamos de encontrar o olhar afectuoso de Jesus e, se possível, contar-nos entre os seguidores mais próximos. E sentimo-nos bem no sofrimento deste jovem que não consegue desprender-se das suas riquezas e dá-las aos pobres, riquezas que o impedem – e nos impedem – de tudo ser para Jesus. Porém, Jesus garante: “Aos homens é impossível, mas para Deus não, pois tudo é possível a Deus”.

Meditações Bíblicas”, tradução dos Irmãos Dominicanos da Abadia de Saint-Martin de Mondaye (Suplemento Panorama, Edição Bayard, Paris). Selecção e síntese: Jorge Perloiro.