A entrega de si a Deus – significado

O compromisso é uma atitude e uma decisão interior, diante de Deus, no seguimento de Jesus, que se exprime num propósito (resolução firme). Esta resolução de entrega total a Deus é urgente e em cada momento deve ser renovada. Mas é Deus que realiza esta maravilha.

O diálogo de Jesus com o jovem rico (Mc 10,17-27) mostra bem como a vida eterna se encontra neste dar-se completamente, sem reservas e sem condições, seguindo Aquele que «sendo rico, se tornou pobre por nós, para nos enriquecer com a sua pobreza» (2 Cor 8,9).

Os catequistas, em primeiro lugar, como os sacerdotes e todos os que receberam uma missão na Igreja são interpelados por esta Palavra. Dei tudo? Deixei-me libertar de mim? Sigo somente a Cristo? Ou estou preso a riquezas que não são Ele nem são d’Ele? Que obstáculos deixo que existam no caminho até Cristo? Que resoluções tomo neste momento diante de Deus para pôr em prática este ano, para, com a ajuda da sua graça, alcançar a vida eterna?

Este exercício espiritual feito e vivido pelos catequistas, crentes em Jesus, transmite-se, como testemunho, aos jovens que frequentam a catequese nos grupos. «Dei-vos o exemplo, para que assim como Eu fiz, vós o façais também» (Jo 13,15). A transmissão da fé, também na catequese, passa por este testemunho, por este contacto com uma obra realizada por Deus. A participação na eucaristia do Domingo em que se exprime o compromisso, (preparada, sempre que necessário com o sacramento da Reconciliação), a comunhão do Corpo de Cristo, a resolução tomada diante de Deus, constituem o «compromisso». Daqui se compreende tratar-se duma decisão interior, não individualista, mas feita em Igreja; livre; não ditada; não esquematizada e, quanto à matéria, não exposta aos demais. Poderá, no entanto, ser discernida com a ajuda do director espiritual ou do confessor.

Se toda a catequese, através da escuta da Palavra, conduz à resposta vocacional – a minha vida, dom de Deus, oferecida à luz de Deus – este significado é particularmente intenso na idade da adolescência. É missão do catequista ajudar a fazer este discernimento porque a Providência chama cada um ao seu lugar na Igreja.

Não esqueçamos, no mesmo sentido, a pergunta que Nossa Senhora fez aos pastorinhos, mesmo antes da adolescência, quando ainda eram crianças: «Quereis oferecer-vos a Deus?». «Quereis oferecer-vos a Deus para suportar todos os sofrimentos que Ele quiser enviar-vos, em acto de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido de de súplica pela conversão dos pecadores? ” A resposta foi “Sim, queremos!”

Voltar ao índice