1ª QUINTA-FEIRA – 4/FEVEREIRO/2016

a_SaoJoaoDeBritoS. JOÃO DE BRITO (1647-1693). Em 1673, João de Brito embarcou para Goa, Índia. Os primeiros tempos foram de preparação para a vida missionária: dormia no chão, não comia carne nem peixe, sómente vegetais, fruta, arroz e leite, com nenhumas condições materiais à disposição. Ali terminou os seus estudos de Teologia. Em 1674 parte para Madurai, onde a sua ajuda social e fé converte milhares de indus. Em 1686 vai para o reino de Maravá com 5 catequistas e cruza-se com o chefe do exército que os prende e tortura, procurando levá-los a invocar o Deus Shiva, o que recusam. Poupado à pena capital, regressa a Portugal, mas volta à India em 1690, onde em 1693, por fim sofreu o martírio à mãos de um rajá, pai da concubina de sangue real repudiada pelo príncipe polígamo convertido por João de Brito. Foi canonizado (1947) pelo papa BTO. Pio XII.

1 Reis 2,1-4.10-12 ; 1 Crónicas 29, 10-12; Marcos 6,7-13

NA MÃO DE DEUS (Crónicas 29,10-12). “Na Tua Mão, força e poder; tudo n’Ela, cresce e se solidifica.” Vemos como a Escritura não receia utilizar as imagens para falar de Deus. Recordemos que STO lreneu “identificou” as duas mãos de Deus, que criam e recriam, com O Filho e com O Espírito . Mas como permanecer nessas mãos de Deus ? Deixando-nos trabalhar por elas. Isso, tem de passar por uma disponibilidade interior, na oração e na contemplação de Cristo, tal como é revelado no Evangelho, ou seja, por pôr em prática o duplo mandamento do amor, não de maneira legalista mas com o impulso do desejo.

“CHAMOU OS DOZE E COMEÇOU A ENVIÁ-LOS EM MISSÃO” (Marc.6,7-13). Doze é o número rico em referências bíblicas. Tal como Jacob e os seus 12 filhos de onde sairam as 12 tribos de Israel, Jesus terá um colégio de 12 apóstolos. A Jerusalém celeste tem 12 portas e assenta em 12 bases, tendo cada uma o nome de um dos 12 apóstolos dO Cordeiro. Este número simboliza a continuidade do Novo Testamento sobre o Antigo, mas a partir de Cristo, pedra angular, e dos apóstolos, as fundações. Deve admirar-nos que os apóstolos partilhem o poder e a autoridade de Deus de curar e pratiquem exorcismos retirando os pecados. E também que este poder esteja agora entregue aos sacerdotes.

“Meditações Bíblicas”, tradução dos Irmãos Dominicanos da Abadia de Saint-Martin de Mondaye (Suplemento Panorama, Edição Bayard, Paris. Selecção e síntese: Jorge Perloiro.